segunda-feira, agosto 04, 2008

#331




Ás vezes acho que é um vício, outras vezes acho que é um refúgio, e outras tantas sinto que é apenas o meu espelho.
A escrita envolve-nos, partilhamos aqui 'sentires', que de um modo falado a coisa saía diferente… diferente talvez não seja a palavra correcta.
O que se passa é que ando farta.
Não da escrita.
Não das letras, palavras, emoções…
Mas, ando farta.
Farta dos meus pensamentos.
Farta dos meus actos.
Farta dos meus sentimentos.
Ando cansada.
Consumida, verdadeiramente consumida.
As pessoas levam-me tudo.
Levam-me o coração, levam-me os pensamentos, levam-me os gestos.
Levam-me tudo.
E no fim.
No fim, não fica cá nada.
O mal não é das pessoas. O mal é meu, que com a idade que tenho já devia saber que não devemos esperar grande coisa… mas, eu esperei.. esperei.. e cansei-me.
Cansei-me de viver para os outros.
Cansei-me de achar que é normal não recordar a última vez em que os meus progenitores perguntaram se preciso de alguma coisa.
Cansei-me de achar que é normal não recordar quando levei um abraço paternal e maternal.
Casei-me da não aceitação.

....
Cansei-me de me esquecer de mim.
Cansei-me de achar que é normal a vergonha que algumas pessoas sentem por privarem comigo.
Ando cansada. Ando tão cansada.
Cansei-me de não me verem como sou.
Cansei-me de pedir ajuda a pessoas que dei tudo o que tinha, e simplesmente não terem tempo para ouvirem um simples desabafo.
Até ando cansada de confundirem o meu lado Pernas Para o AR , com o meu lado profissional.
Cansei-me das pessoas serem opacas, cansei-me de pessoas que têm trinta anos e não vêm um palmo à frente da vista, que só vêm o que lhes mostram.
As pessoas têm que ver muito além disso.
Ando desgastada.
Fatigada. Verdadeiramente consumida pela minha tristeza.

....
Ás vezes traçamos um caminho para determinada meta, quando finalmente conseguimos quase quase chegar a essa meta, vêm uma qualquer coisa, e tau muda isto tudo.
Mas, eu não reclamo, nem nunca perguntei porquê que tinha que ser a ela, e não a outra pessoa qualquer. As doenças surgem sem hora marcada, temos que as aceitar e lutar com optimismo. Aceitei e faço o que eu posso. Mas, ando cansada, muito cansada do meu tudo, ser sempre nada.
Ando esgotada de não conseguir respirar, preciso de um quadro e de um giz.
Ando cansada de me refugiar em álcool e cigarros.
Já nem as ondas me enchem a alma.
Nem os 666 metros da serra me alimentam.

....

Tenho um segredo, daqueles que vão para a cova connosco, e esse segredo anda a consumir-me, anda a trincar todas os meus possíveis sorrisos, e mesmo quando tal episódio se passou, eu nada fiz, porque tive medo de represália, daquela manisfestação típica da sociedade aponda o dedo, como se quem passasse por isso fosse desejo nosso, e não violentação dos nossos direitos e desejos enquanto seres humanos que somos.

...

Tenho saudades dos quase treze anos que passei no Bairro da Ajuda, da calçada, da loja de ferragens, das corridas sem capacete, de escrever com os salpicos do Tejo, de pegar em meia dúzia de quadros e vende-los a turistas no castelo de São Jorge.
Tenho saudades de ir para Santa Apolónia e pegar o primeiro comboio que aparecesse, só pelo simples prazer do desconhecido.
Tenho saudades daquela aceitação genuína. Verdadeiramente genuína.
O que sinto não é nostalgia, o que eu sinto é uma tristeza profunda.
Daquelas que agitam o corpo todo.
Daquelas em que vamos no carro e só apetece acelerar acelerar e sentir em todos os poros aquele “quero que se foda”.
Sinto aquela tristeza de agarrar no peito.
Sinto verdadeiramente hoje, que pouco ou nada ando a contribuir para a porra da sociedade.
Já senti muitas tristezas na puta da vida, mas como esta que ando a sentir……
Cansei-me de enterrar amigos, só este ano foram cinco e ainda só estamos em Agosto.
Ando cansada de tentar preencher o cérebro com demonstrações de Teoremas, com filosofias do século XVIII, literaturas contemporâneas.
Ando cansada de sentir que nada me enche.
Ando cansada de ouvir que sou uma vergonha.
Ando literalmente cansada de ser uma estranha pessoa.

Mas, o que ando mesmo cansada… é de eu sentir que sou realmente uma vergonha.

Ando com vergonha de me despir.
....

E enquanto eu andar assim o Pernas fecha. E com ele todos os projectos que tinha agendado, nomeadamente o próximo livro.

....

Para escrever é preciso raiva.
É preciso sentir o sangue, a medula, os dedos, os outros, é preciso aquele tal equilibrio desiquilibrado dos sentidos.
Aquele calar de cérebro, aquele falar de miocárdio.
É preciso sentir que desembrulho-me toda, que fico completamente nua em palavras.
Sim.
É preciso isso.
Sentir todas as rugas, as minhas e a dos outros, cada fio de cabelo, cada gesto, cada bocejar, cada olhar, cada nó dos meus ossos, meus e dos outros.
Sentir cada lambidela de pele, cada raciocínio, cada bochecha vermelha, cada ombro descaído, cada soslaio, cada tudo.
Para que esse tudo, se transforme em cada uma das minhas 'nudezes'.
Mas, já não me sinto capaz de despir.
Já não me sinto capaz de ser eu.
Ando com muito frio.
....
Um grande abraço para todos aqueles que sentiram nas entranhas as minhas linhas.
Foi de um enorme prazer privar convosco as minhas veias.
As minhas pulsações.
Para vocês o meu muito obrigado.

47 comentários:

Esplanando disse...

Não!

Charlotte disse...

Tenho por experiência própria que o Verão intensifica muito o nosso lado mais negro,as nossas inseguranças e males de alma. Porque, por contraste, tudo no Verão apela à diversão, ao ar livre, à leveza, à superficialidade, aos prazeres do corpo, sem mais contemplações. Sem te conhecer, nem às tuas circunstâncias, percebo a tua angústia e a tua "vergonha" ao expores-te por aqui.Eu ando a sentir o mesmo.

Por isso, vai. E, quando puderes, volta. Não tenho encontrado muitos blogs como o teu.

Alexandra disse...

Faz o que te fizer sentir bem. Se não o encontras, procura, procura! Se precisares de ajuda nessa busca, aqui a Alex tem um belo de um mapa! E pode-se sempre recorrer ao GPS e ao Michelin!! ;)
Beijos e abraços

.*.Magia.*. disse...

F.
Que se F.
Mas, mas, mas, mas, mas...

Opá, hummmm, pois, pois...

Vim deixar-te o aperto de um abraço e umas reticências, ficam sempre bem umas reticências.

--------------> ... <--------------

São para ti!

Deixo-te também um ponto de interrogação que fica aqui a olhar para ti.

---------------> ? <---------------

É teu!!!



Para o que der e vier deixo também o alfabeto, pode vir a fazer-te falta, tenho a certeza que vai fazer-te falta.

---------> A B C D E F G H I J K L
M N O P Q R S T U V X Z <----------

É teu!!!

O K, W, Y não te empresto!



Cuida de TI!!!!!

Ela disse...

para deixar um beijo


e um abraço apertado.daqueles que nos protegem do frio.


take care.


*********

Marina disse...

Nossa, vc escreve mto bemmm!!!
adorei o seu texto!..
faz mto tempo q nao escrevo com a alma..

Bjs..

Lucimar disse...

Incrivel

Anónimo disse...

O seu desabafo tocou-me. Não sei o que lhe possa dizer!
Só me resta compartilhar consigo um pequeno texto que sinto me dá sempre muita força quando estou em baixo.
23 (22) O BOM PASTOR


1*Salmo de David.

O SENHOR é meu pastor: nada me falta.
2Em verdes prados me faz descansar
e conduz-me às águas refrescantes.
3Reconforta a minha alma
e guia-me por caminhos rectos, por amor do seu nome.
4Ainda que atravesse vales tenebrosos,
de nenhum mal terei medo
porque Tu estás comigo.
A tua vara e o teu cajado dão-me confiança.
5*Preparas a mesa para mim
à vista dos meus inimigos;
ungiste com óleo a minha cabeça;
a minha taça transbordou.
6Na verdade, a tua bondade e o teu amor
hão-de acompanhar-me todos os dias da minha vida,
e habitarei na casa do SENHOR
para todo o sempre.

.*.Magia.*. disse...

Asat Ames bora daí!

o das caldas disse...

Não te demitas. Os teus leitores assim o exigem, penso eu de que.
Vem 1 serão destes até ao CCC que é o que está a dar. Ainda ontém os alunos das artes representaram o PROJECTO PACHECO admiravelmente.Mas tb podes vir mais cedo e passar pelo Centro de Artes com a minha garantia de que até te vais esquecer que o tempo existe.
Beijinhos das Caldas

Vanda disse...

Zarpa da Vanda.
Aporta-te na Filipa.

Mistura-te.


Shakera-te.


abana-te.


Zarpar é isso mesmo.

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

Custa-me saber-te assim.

Beijo, espero-te.

g. disse...

ohhh hummm tás a precisar de uns miminhos da minha mafaldinha com ela por perto ficamos mesmo com a vida de pernas para o ar.

olha estranha pessoa conheço-te há pouco tempo por causa de andar a passear de blog em blog e gosto muito do que escreves e da forma que pensas, porque sempre tive em mim que nós somos aquilo que lemos, escrevemos, ouvimos e vemos. és uma pessoa bonita tenho a certeza disso, podes andar com a cabeça no ar ou as pernas não importa, importa é aquilo que és e tens para dar não o que os outros pensam de ti eles que se F. e pensem o que quiser mas por favor não te sintas assim. vestida ou despida, mais depressa ou devagar, todos os dias ou de semana a semana continua porque és bonita.

leva o tempo que precisares mas volta estamos aqui à tua espera

abraços e beijos [e como nas despedidas... escreve a dar notícias e a dizeres como estás, como te sentes e o que te vai pela alma]

Paradoxos disse...

sem palavras...


pensei que estavas no princípio...

lugares assim nunca deveriam chegar ao fim...

Luís disse...

sobram as palavras...

esse teu estado de espírito, quase destruitivo, é o melhor para dares vida a um romance, este teu texto está cheio de personagens...

e fica melhor que ontem.

OLHAR VAGABUNDO disse...

é assim... de todos os blogs és o mais maluco e o que mais gosto...queres partilhar um orgasmo comigo? :)

beijo vagabundo gaja estranha

Putty Cat disse...

Bem, só te digo uma coisinha..
posso...? Posso...? POSSO...?????


Então aqui vai:

Qdo quiseres fazer um strip daqueles de deixar homens e mulheres de língua de fora e a babarem-se, eles cá estarão para apreciarem.

Qto aos gatos e gatas (assim, sei lá, como eu...) terás sempre o maior respeito, como Estranha, como desconhecida, como Mulher e como Escritora.

Por isso, quando quiseres, os animais racionais, irracionais e assim assim cá te esperam.

Beijo
... e esgadanhadela bem funda nesses sentires....

Vanda disse...

Ou vice versa:)

Jorge Pessoa e Silva disse...

Cruzes. Cheguei aqui pela curiosidade que me despertou o teu comentário no meu blog. Levo com um texto destes, que tem tanto de tocante como de profundo.

Nem ouso comentar, porque não me é permitida essa veleidade. Afinal, acabei de chegar e nem te conheço. Muito menos posso ousar perceber-te.

Como te disse, acabei de chegar. E, prometo, voltarei. Nem que seja para ler e reler este post vezes sem conta. Mas seria uma pena que esta aprendizagem de quem és tu e do que podes acrescentar à minha maneira de sentir e de ver o mundo terminasse no momento em que começou.

Não podia deixar de aqui vir. Num momento foste importante na minha vida, pelo carinho e palavras de conforto que deixaste no meu blog. E mesmo que a viagem termine aqui, terás sido sempre importante. Porque eu não esqueço nenhum dos nomes de quem me dá carinho e encoraja.

Ficaria sempre em dívida se não retribuísse. Se me perdoares uma única ousadia, gostava de saber se posso, de alguma forma, ajudar-te a superar esse cansaço.

Por último, gostaria que este meu comentário fosse apenas disparatado. Que exagerei e percebi mal o post. Que tudo não passou de um desabafo, de um exercício literário. Gostava mesmo.

Beijinho e obrigado

Maripa disse...

É a primeira vez que a visito...e desejo, seriamente, que não seja a última...

Escreve com mágoa, com dor,com desapego...está cansada e sente frio...
Peço-lhe,escreva com raiva,mas escreva.Tem tantas "coisas" boas dentro de si...não as deixe morrer.

Voltarei para sentir as suas pulsações,sim?

Obrigada pela sua visita e palavras .

Beijo carinhoso.

titofarpas disse...

Faz o que te apetece e te faz sentir bem...
Fica bem
Beijos

Camolas disse...

"Só sei que nada sei e foi porque me disseram"

(anónimo)

Francieli Rebelatto disse...

Nossa, faz tempo que não volto aqui e quando volto, parece que me sinto aqui..é como se você me escrevesse detalhadamente, minha raiva, tudo que se passa nas minhas entranhas....

Estou invadida por uma leve angústia de te ler, e de me ler com tanta intensidade...

Foi bom..mas preciso de um tempo para respirar...

Beijos e cuide-se

besbertocharrua disse...

atão o CANSEMIRE hã? toca de vire animáre a nha pernas né? quela qué uma gata dos sete fóles quisto passa quela volta.

.*.Magia.*. disse...

Vim cá outra vez!
É só para saberes que estou farta de ler este texto.

Que é feito de ti!!!

Há séculos que não te leio!

Fuck

.*.Magia.*. disse...

Rectificação:

Onde se vê -------> !!!

Deve ver-se ------> ???

(Era uma pergunta e não uma exclamação)

.*.Magia.*. disse...

Repito:

REPITO

R.E.P.I.T.O:


Que é feito de ti ???

.*.Magia.*. disse...

Não precisas responder!!!!

besbertocharrua disse...

ai magia perciza respondêre sim cagente na pássa sem a nossa perninhas quela qué insubestituivéle.

Maestro disse...

nao sei bem como somos capazes mas achamos bonito o mau estar dos outros. E eu achei o. Continuo a gostar muito do teu blog!
p.S: E continuo sem perceber o teu comentario ao meu

Antonio saramago disse...

Tardiamente venho retribuir a tua visita e faço isto com muita vontade porquanto tens um blog muito interessante mesmo!!
Não vás apanhar o Comboio para outro lado.

Brain disse...

Bem,
Chegado de férias,
Levo com este post.

Post que já li, reli, re-reli,
E fico sempre com a tua tristeza,
Entranhada nos meus sentires que me cala as palavras.

Pensei em enviar-te um e-mail, mas como o que tenho para te transmitir não é nada de privado, aqui vai:

Conheci-te como Estranha,
E foi como Estranha que "aprendi" a apreciar-te.

E eu aprecio-te!
E muito!
E sei que não sou o único (basta acompanhar um pouco dos comentários que te vão sendo feitos)
Agora,
Eu tenho muitas coisas que te poderia e me apetecia dizer-te mas...
Penso que todas elas se resumem a uma frase que gosto de utilizar como tipo uma máxima minha:
"Se não te apreciam, te negligenciam, ou até mesmo não te respeitam, É PORQUE NÃO TE MERECEM! E esses, não merecem sequer a tua atenção, quanto mais o teu esforço!"

Não é para esses que os teus sentires se devem voltar, mas sim para os outros. E são tantos...
Podem ser menos 5, ou menos 10 ou menos 20, mas há TODOS os outros.

De qualquer forma,
Concordo contigo quando dizes que só faz sentido se for PROFUNDAMENTE SENTIDO.
Eu penso da mesma forma.
E se tiver de ser forçado então... não faz sentido.

Sabes que adoro ler-te.
Sabes que adoro as tuas entrelinhas.
Sabes que te visito diariamente.
E tenho pena que este espaço fique vazio.
Mas pesa-me desmesuradamente mais,
Os sentimentos contidos neste texto.

Por tudo isto te digo:
Faz o que EFECTIVAMENTE tiveres vontade!

E por fim,
Só te "peço" que não permitas NUNCA a NINGUÉM,
Que te faça sentir "menor"!
Nem te permitas a ti própria sequer,
A veleidade de te sentires "uma vergonha" pois isso,
Tu deves a ti própria,
O nunca deixares acontecer.

Desculpa a extensão,
Mas acredita,
Que tive de me conter muito,
Para não sair algo ainda bem maior.

Um Grande ENORME Beijo Meu,
Bem cá do fundo de mim.

PS: É bom ter-te por perto. Vai ficando... please...

cadu1981 disse...

quem és tu "Estranha pessoa esta"

Eli disse...

Logo no início li palavras que me levaram a dizer-te algo que descobri num amigo:

"Quanto mais damos de nós, mais temos"

Tu não sabes, mas com tudo o que deste e com tudo o que sentiste só houve motivos para te vangloriares por não seres vazia.

Fui lendo até ao fim e consigo compreender-te, no entanto, quem sabe tudo aquilo que descreveste, também sabe que não vale a pena ficar parada com pena de si própria!

És muito mais que uma vítima! Solta a força que há em ti e recomeça... há-de haver algo a que te agarrares!!! É por aí o caminho!

Força!

:)

Rafeiro Perfumado disse...

Não te conheço, mas sinceramente te digo: quem consegue escrever um texto assim tem muito para dar a este mundo de treta.

Um beijo e espero que reencontres a chama.

.*.Magia.*. disse...

Vim aqui!
Vim picar o ponto!

Fui!

.*.Magia.*. disse...

Vim aqui!
Vim picar o ponto!

Fui!

Sonhos e Devaneios disse...

oi...eu gosto muito de vir aqui visitar seu blog, sempre encontro algo que me faça pensar.Hoje lendo seu post fiquei pensando como temos pessoas que ficam opacas, que deixam passar oportunidades de RESPONDER, de reagir....Eu acho que cansei tambem destas pessoas . Nao gosto nada de perguntar uma coisa e ficar sem resposta..e se faço uma pergunta e voce nao quer me responder entao me diga com um sorriso nao quero responder e ai ficarei feliz...MAS INDIFERENÇA NAO.....INDIFERENÇA MATA.
joao

vita disse...

Vim tarde..mas este texto deixou-me sem palavras.;)

Desejo-te o melhor.;)

Alma social disse...

bla bla bla...quem nao te conheça que te compre..eras incapaz de me deixar alone neste mundo da leitura virtual..aliás foste tu, alma danada, que me pegou o bicho. Quero que saibas que para mim és vida neste buraco de ozono.. Gostava de te ler um salmo ao ouvido,mas sou pecador..sem malicia.. mas sou..
No surbar de batidas altamente contagiantes dos sons electonicos, surge-me ás ideias que precisas de peso e é já....vou encomendar isso até á tua chegada... beijos nessas beiças! acerca do sucedido.. iremos a bebate numa daquelas festas rurais, a toque do liquido amarelo cervido em garrafinhas de 20cl..

Lobo Solitário disse...

Deixaste-me sem fôlego para comentar. Volto mais tarde com uma mão cheia de palavras.

Moon_T disse...

nao vou ser longo...
antes de mais: 666mts montejunto



e depois de ler tudo
e ter identificado tanto como os demais... sentir...
só consigo comentar uma coisa:
parabens por seres Humana.


ps.
sao esses cabroes desses segredos que Sabemos que temos de levar para a cova que, por vezes, penso que a cova nunca mais chega para que o fardo passe de vez.

obrigado
com uma lagrima a descer até ao meu sorriso

Raquel Vasconcelos disse...

O teu comentário na minha foto Esperança suscitou a curiosidade. Não te conhecia. E fui espreitando textos na transversal. Até que achei que tinha que ler este de uma ponta à outra.

"Para escrever é preciso raiva.
É preciso sentir o sangue, a medula, os dedos, os outros, é preciso aquele tal equilíbrio desequilibrado dos sentidos."

uma enorme verdade, é assim que sinto também.

"Mas, já não me sinto capaz de despir.
Já não me sinto capaz de ser eu.
Ando com muito frio."

A tristeza na sua fase de não raiva. Aquele momento em que de alguma forma nos anulamos.
É assim que te leio.

Cansada, farta e com "segredos"...
uma forma de escrever apenas ou... a verdade.

Mas a verdade mesmo é que escreves muito bem!

Shelyak disse...

Um blog como este não merece ser fechado... nunca...
E minha "querida"... não é consolação mas todos nos defrontamos com um mundo assim... temos é que estar preparados para uma vida na selva...
Beijinhoooo

AP disse...

Adoro-te

N é pela pessoa, pq nem faço a minima ideia de quem sejas.
Nem pela mulher, q tb n faço puto de ideia.
Mt menos pela profissional pq...nem faço ideia e nem m interessa..

Adoro-te pelas palavras.Pelas frases perfeitas q crias. Adoro-te principalmente pela verdade. Essa verdade q a maioria da populaçao n faz a minima ideia do q seja.

Caminho para casa disse...

Como compreendo :'/

Mαğΐα disse...

Hasat Ames for you...


Dei comigo aqui... a ler este texto.
Doeu.
Não sei porquê, mas doeu.

.............................