sexta-feira, agosto 01, 2008

Sim, eu sou estranha. E depois?


- A Filipa hoje não está muito normal.
- E quando é que ela está normal?
- Quando é Vanda.

Foi nas tascas, na mesa do lado.
Se eu tivesse respondido… responderia qualquer coisa da medula.
Mas, estou sem espinhas.


Boa noite.
Chamo-me Vanda Filipa.
Sou docente.
E nas horas vagas, procuro a indecência dos pensamentos, actos e omissões.
.
.
.

Estranha pessoa esta.

6 comentários:

OLHAR VAGABUNDO disse...

nada estranha...

beijo vagabundo

José Miguel Gomes disse...

Ser como se é, nada melhor! :)

Fica bem,
Miguel

Justine disse...

Nem por isso, só à procura, não é??
Beijo sem estranhezas

Anónimo disse...

o vento no rosto
o vazio na alma

vem o tempo
vai o tempo
vem o dia
cai a noite
vem agosto
vai agosto

e no calor cíclico da espera
sopra-me este vazio na alma
pernoita-me este vento no rosto


jorge casimiro (agosto)

Francisco del Mundo disse...

Gostei...:D Do post, do blog, da estranha em ti...:D
Beijo

Anónimo disse...

Estudante, 16 anos

há algo em cada blog q me fascina, este nao é excepçao..
Isto porqe peso q nao é preciso apenas sentir para escrever, apesar de escrever se tornar tambem um refugio do sentir... gostava de consegir exprimir tudo aqilo q esta ca dentro.. no fundo, nesta idade de .. sentir(?)..! mas parece q esta colado com resina de oliveira ou sei la com o qe, q quando vejo uma folha de papel, apenas sou capaz de escrever o ponto final..! Acho q todas as pessoas teem a sua parte estranha, ninguem é excepçao.. nem tu, nem eu nem ninguem.. a unica diferença é q alguns consegem aceitar e exprimir a sua estranhesa, outras nem tanto.. chama.se vergonha de ser qem sao!

Gostei de passar por ca *

SB