domingo, janeiro 24, 2010

Moribunda


Se eu pudesse um dia chorar todas as mágoas que eu sinto.
E habitar em mim, um qualquer universo ainda por descobrir.
Ai se eu pudesse num dia, mover a madrugada em ternura.
E aí espantar, qualquer vestígio de medos e melancolias.
E escutar baixinho, mas mesmo muito baixinho, o teu ressonar.
E aquele bater de dentes que tu dizes que existe,
entre o dormir e o adormecer.
Destacaria qualquer passo.
Qualquer olhar. Gesto. Semblante. Quadro.
Tela. Pincel. Sensualidade.
E arrancava tudo.
Sem hesitações. Dúvidas.
E o mais agradável de tudo isto.
Era eu sentir-me moribunda.
De mim mesma.
Ao sentir uma qualquer esmola tua.
Como se de um tesouro se tratasse.
Se eu pudesse um dia chorar, todas as indiferenças que sinto.
Criaria o Atlântico.
E detinha todas as palavras do dicionário lusófono, como minhas.
Mas, sou pobre. Inculta. E incapaz de suster em mim.
A ausência do teu espanto.

9 comentários:

Mαğΐα disse...

.........

..



(...)

mfc disse...

Referes e vês coisas que só quem está atento repara!
Sente-se que sentes...

Camolas disse...

Sempre maravilhosamente triste, dependente de coração alheio.

lampâda mervelha disse...

Apaixonante esse teu "mal". Deveras cativante...

Mαğΐα disse...

No dicionário lusófono existe esta palavra


---> Ressuscitação

s. f.Ressurreição; reaparição...




Onde andas Estranhex Pessoana TU ?

O das Caldas disse...

Tá parado mas pelo menos oiço a música, com agrado.-
Beijinhos das Caldas

Anónimo disse...

Se eu pudesse, ai se eu pudesse....dar-te ia um outro tesouro... que te retirasse toda a tristeza, algo que fizesse entrar em coma toda a infelicidade que sentes e dele nunca mais acordar (até desligar a máquina eheheh).
Quero e exijo que sorrias, sorri sempre pá!

Bolta!

*****
Amiga que tem um Porto D'Abrigo..

Percursor disse...

O vagar e a coragem para uma resignada redenção.

Bibendum disse...

Sem sombra de duvidas aquilo que eu gostaria de ter escrito. lindo :D