sexta-feira, março 09, 2007

Deixa-me contar-te como poderia ter sido o nosso Tango

Quem passava por ali não fazia ideia do que estava a acontecer.
Do que acontecia ali, noite após noite.
Rolava a intensidade nessas madrugadas,
não sei porque ninguém deu por isso… o facto é que ninguém deu por isso…
Ninguém deu por essa intensidade.
Por esse desejo ofegante.
As escadas eram de madeira, com degraus pequenos e sem qualquer corrimão.
Ele subiu apressadamente, já ouvia os primeiros acordes da melodia… tinha medo que ela já não estivesse ali, ou que tivesse arranjado outro par.
Entrou no salão ansioso.
Era uma sala de dança, daquelas típicas da década de 80, média luz, um balcão de ferro, grandes janelas para o exterior, no fundo alguns sofás…
Talvez porque a noite era de Inverno, talvez porque estava quarto crescente, talvez porque os dias já cansam de serem iguais a tantos outros…

....talvez por isso o salão estivesse cheio.
Mulheres de decotes enlaçados, saltos esguios, cabelos pintados, olhares disfarçados…
E já não lembrou porque foi ali.
Esqueceu-se que a música podia acabar.
Distraiu-se portanto!
Distraiu-se com o decote da Maria, admirou os saltos da Anabela, passou com as mãos pelo cabelo da Joana, piscou o olho à Vânia…
Com o cair da madrugada todas elas foram embora…
Já a música ia nas últimas notas, quando finalmente lembrou que alguém o esperava.
Foi até ao bar, pediu um martini.. observou a sala vazia.
Suspirou.
A dança tinha sido efémera.
A música oca.
Queria outra dança!
A dança.
Mas, tal como a música precisa de ouvintes.
O toque precisa de desejo.
Desejou.
Não tocou.
A música parou.
No sofá um bilhete:
Existem sons que encontras todos os dias, melodias que espreitam a cada canto como se de um hino se tratassem, e depois existem aquelas canções que ninguém as ouve, que nem sabe que existem, pensam que quando as querem ouvir que basta ligar a rádio.
Mas, essas canções existem, e por mais estranho que possa parecer… cansam-se de esperar que o ouvido se aprume.


Deixa-me contar-te como poderia ter sido a nossa dança.
O nosso tango.
O TANGO!
Sem decotes, sem pinturas, sem saltos, com sinceridade.
Pé aqui.
Pé ali.
Puxa. Arrasta a mão contra a cintura.
Esguelha os sentires.

Empatia de olhares.
Desenvolve a melodia.
Piano.
Toque no pescoço. Perfume silencioso.

Seduz o aroma.

Desliza o dedo.
Suor no pulso.
Mordida na orelha.
Avança com o toque que está no Refrão.
Enrola a perna, pé quente.
Lábios desvendados.
Silhueta permitida.
Aconchego perturbador.
Até podia contar-te o resto do Refrão.
Mas, estavas distraído com as Estrofes!

Esqueceste de Vibrar.
A dança precisa de suor.

De roçar no osso.
Até ao Tutano!
-

-

-
-
Escusas de lembrar qual a frequência desta rádio.
Da minha rádio.
É que eu… dei por ti.



24 comentários:

Cris disse...

Tango! paixão, luxúria, arrebatamento, tudo numa só dança!

Beijinhos e Bom fim de Semana

Cris

Pepe Luigi disse...

Passei aqui no seu espaço para te felicitar pelo teu excelente trabalho na pág.21 do meu amado livrinho "Que é o Amor?".
Parabéns.

Um abraço
do Pepe.

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

Bem... estou afónico, sem palavras.
Lindooooooooooooooooo!!!
Rendo-me ao encanto das tuas palavras...

O som, magnifico. Não poderias ter arranjado melhor escolha.

Estranha, estou encantado, pois estou...

E não estranhes as minhas palavras não te esqueças que, "Hoje estou assim..."

Um bigue quisse pour toi, até outro desassossego.

Carracinha linda! disse...

Fiquei arrebatada com as palavras que li!


Bom fim-de-semana cheio de sol!

Beijocas

Isabel disse...

Estranha nada disto me parece estranho... estranhamente belo, daquela beleza estranhamente triste.

Estranha sintonizei a frequência da tua rádio que para mim não é estranha, eu e tu duas estranhas pessoas duas frequências que estranhamente tantas vezes se tocam, tantas vezes se sintonizam.

Sintonizei-te...

E dancei e escutei esse tango.
O tango que foi.
E o tango que poderia ter sido.

O que foi acontece todos os dias, o ouvido que ouve mas não escuta, o corpo que dança mas acompanha o passo, as pernas que se roçam mas não se cruzam, os braços que agaram mas não enlaçam, o olhar que olha mas não vê, o toque que não desejou antes de tocar.

Depois o que poderia ter sido, acompanhado por uma dessas especiais canções que um dia se cansam de esperar que o ouvido se aprume.
AO tango que não permite distração com outras estrofes para ser bem dançado... o tango da entrega vibrante e plena...
O tango do soalho e o lençol pingado de suor porque sem suor não se dança o tango não.
O tango a dança tem de de furar, furar a pele, rasgar a carne roçar o osso.
Osso com osso é o tango.
Osso com osso é a dança.
E dangado na perfeição fura mais ainda e chega ao tutano.

Lindo tango.... bela dança...

Eu dei por ti

Hoje e ontem quando dormias encontada ao meu piano...

Hoje a música lá é outra... toca sempre tambem para ti.

Tens sempre lá um lugar... para tudo até para dançar... se quiseres dormir podes até te enroscar...

Eu dou por ti...

Sintonizar-te-ei estranha estranhamente aqui perto... do miocárdio.

Isabel

Pierrot disse...

Hum, parece que as estou a ver, a sentir a vibração, a brisa que provocam no meu rosto quando passam, o odor agradável ds corpos suados e a intensidade do olhar...
Gostei
Estranho mas gostei ;-)
Bjos daqui

João Cordeiro disse...

Olá,
Que posso eu dizer se os meus olhos não falam!
Transmitem emoções, a essa beleza inconfundível
que as palavras me transmitem
Aqui estou eu para te dar o meu apoio e solidariedade
Soberbo... continua…
Meu blog:
http://www.sonhadoremfulltime.blogspot.com/

LINDO, lindo

Thiago Forrest Gump disse...

Gozei!

daniel sant'iago disse...

A 7... um "fuck"!
A 8... nem "fuck" nem nada... E era o Dia M!
A 9... desvairadamente do avesso!
Em cheio!
Bravo!
E eu... nem sou nada destas coisas e... loisas!

rui disse...

Olá Estranha Pessoa

Isto está de gritos!
Deste uma abada em muita gente!
Adorei.

Grande abraço
o senhor do mar

Luis Pestana disse...

"A dança precisa de suor" e "Empatia de olhares" sem duvida

.*.Magia.*. disse...

Estranhazeca...
Gostei de tudo o que escreveste...
Mas adorei sobretudo tudo aquilo que não escreveste e que senti nas entranhas...

Dei por ti...na mesma frequência!

Sempre quis ser um rádio daqueles antigos...TU sabes disso ;)

Um abraceco de vicio...sim mesmo de VICIO...

.*.Magia.*. disse...

Ahhhhh

Gosto do 13...

Quero este comentário todo para mim...

Gude naite 4iu

.*.Magia.*. disse...

Estranha...vim colher o comentário 14 para mim para te dizer que eu não estou ali, no meu estaminé, mas estou aqui, acolá, acoli...onde me apetecer estar...

NÃO TERÁS O PRIVILÉGIO DE TE VER LIVRE DE MIM!!!!!!

:P

.*.Magia.*. disse...

Catch me if you can...

sem-comentarios disse...

O tango é tão sensual. Descreveste a dança como ela deve de ser feita...

"Seduz o aroma.
Desliza o dedo.
Suor no pulso.
Mordida na orelha.
Avança com o toque que está no Refrão."

Fantástico, parabens :)

Francieli Rebelatto disse...

A dança precisa suor. De roçar no osso. Até ao tutano!!Sim, isso é perfeito, isso é grande e forte, a intensidade das tuas palavras, corresponde de fato a intensidade da música, da dança, da sensualidade...dos sentimentos...dance, sue e seja intensa sempre....

Beijos, te cuida, e um ótimo final de semana...

vladimir da lapa disse...

a verdadeira essência do tango....

João Filipe Ferreira disse...

bem..está lindo..e eu que n aprecio mt dança e tango em especial...até fiquei a gostar...tudo graças às tuas palavras:)
beijao enormeeeeeeee

as velas ardem ate ao fim disse...

Divino!Bravo.
Ou não fosse o tango a dança da paixão.


bjos

vida de vidro disse...

Por vezes os tangos mais intensos são os que ficam por dançar... **

Tiago disse...

um tango,
Para quem sabe dançar?
Ou será para quem o sabe sentir?
perguntas e perguntas,
sensações, danças, emoções,
quem dá por ti, dá por ti!

bjs
tiago

pensamentos_vagabundos disse...

adorei o teu texto como sempre....já começa a ser banal os meus adorares...mas ao ler te lembrei me hoje disto...
http://www.youtube.com/watch?v=y-XL2F2eob4
beijo vagabundo linda estranha....

Maria P. disse...

Tango é sinónimo de paixão! Sentir.

Bjinhos*