segunda-feira, abril 07, 2008

Já agora, e assim como quem não quer a coisa

Hoje convidei um desconhecido para jantar.
Ele recusou.
Disse que tem medo do desconhecido.
Respondi, que agi por impulso.
Porque a vida é feita disso mesmo, de impulsos.
Já agora ó desconhecido.
Eu sou a estranha.
Uma estranha pessoa.
Esta.
Simplesmente isso.
E já agora, eu fui jantar.
E deixei a conta em teu nome.

7 comentários:

Esplanando disse...

Tens de dizer a esse desconhecido para ir pagar! Não há coisa pior do que gente caloteira!

pipidebico disse...

recusar um jantar? dá que pensar...
será que a menina não se maquilhou em excesso?
bicadinhas daqui.

rui disse...

Olá Estranha Pessoa

Adoro os teus genuínos impulsos!
E tens razão, "...a vida é feita disso mesmo,..."

Grande abraço, menina Estranha

Brain disse...

Jantar?
Onde?
Quando?

Desde que não seja ontem...

Um Beijo!

PS:E prometo que a conta não fica pendurada!

Branca disse...

Boa!
Mais um continha para pagar...

Olha, quem perde é quem tem medo do desconhecido e se tem medo, já dizia a minha avó: é melhor comprar um cão ou servir-se de um gato, caso os cães estejam esgotados!
É, que andam por aí muitas pesaoas medrosas e já não deve haver cães,não?!

Beijinhos :)

o das caldas disse...

Já desbobri onde falhaste! Devias ter-lhe falado no marisco regado com moscatel!
Beijinhos das Caldas

Anónimo disse...

Isto de se viver no arame tem que se lhe diga...nem todos compreendem as surpresas dos instantes.
Um xi apertado.
Metamorf