quinta-feira, agosto 24, 2006

Cales de saudades. Ensinamentos de uma vida.

Ultimamente... (e não sei porquê) lembro o meu avô.
Assim, sem mais nada!
Recordo-o.
Mas, é em tudo.

Vejo uma criança de bicicleta... e recordo que foi ele que me ensinou a cair e a levantar-me.
Era uma bicicleta azul.
Fomos comprá-la ali para os lados de Rio Maior.
E tinha um cesto cor-de-rosa à frente.
E umas fitas nos punhos.
Era azul.
E era grande.

Vejo uma criança no baloiço.... e recordo que foi ele que me ensinou a não ter medo das alturas.
Era um baloiço vermelho.
Balançava ali para os lados do Baleal.
E tinha um escorrega à frente.
E era de ferro.
Era vermelho.
E era grande.

Vejo uma criança num pomar... e recordo que foi ele que me ensinou o valor da terra e do trabalho.
Era um pomar castanho.
De pêras ali para os lados da serra.
E tinha flores em frente.
E era de troncos.
Era castanho.
E era grande.

Vejo uma criança no mar... e recordo que foi ele que me ensinou a ter respeito pelo oceano.
Era um oceano verde.
De ondas ali para os lados de Peniche.
E tinha as Berlengas em frente.
E era de maresia.
Era verde.
E era grande.


Vejo uma criança a sorrir... e recordo que foi ele que me transmitiu a importância de um sorriso.
Era um sorriso com cor.
De brilho ali para os lados de tudo.
E tinha um olhar em frente.
E era de esperança.
Era de todas as cores.
E era enorme.
Enorme.


Tenho saudadecas tuas.
Mas, sorrio.
:)

2 comentários:

ME disse...

Bom dia obrigado pela tua visita a minha meiacueca.... aguardo pela tua participação.

Beijinhos
ME e David

Ivo disse...

Julgo que é um sentimento... Normal! Saudade de alguem que muita falta nos faz!

Sempre me disseram que «sentir saudades é bom, e dá valor»... mas será?! Muitas vezes é angustiante....

Parabens pelo Pots!