quarta-feira, janeiro 17, 2007

Desengonçada


Não me asfixies
E eu sei que não
E é esse saber que me asfixia
Não o teu saber
Mas, o meu surpreender
De não saber
O porquê
Desta não asfixia
Não penses que é recíproco
Ou até sensatez
Pensa antes que é loucura
Este meu conhecer
Isto não é um embarco
Apesar deste descalço
É qualquer coisa de perigo
Para além do movimento
E este modo desengonçado
É algo inerente
Assim como o orvalho
Numa noite de desalento
Como que um desabitar
Da confusão
Para quê tantas tradições
Se o que eu quero são ilusões
E não importa o labirinto
Repara no momento
Que importa se demora
Prevalece o pensamento
Vê lá se percebes
Que nada há para entender
O que existe tem sentido
Mesmo que esteja por decidir
Talvez seja subúrbio
Esta minha insensatez
Talvez nada seja
Nada mais que uma qualquer invalidez
Que importa o que seja
Nem que seja confusão
Quero lá saber o que seja
Desde que seja
Um qualquer desatar
Não penses que é loucura
Este meu conhecer
Pensa antes que é um apagar
De uma qualquer sensatez

9 comentários:

Giorgia disse...

inspiração extra, esta a de hoje!

beijoka

Pierrot disse...

Doce insanidade.
Reflexão desviada de palavras tortas, ideias obtusas e clarividências esquecidas...
Oh doce insanidade que sabes tão bem.
Não querer saber, apenas ser e saber que se tem qualquer coisa para nos fazer ser.
E nada melhor que Foo Fighters para ajudar ao desvario.
Momento de inspiração.
Parabéns
Bjos daqui
Eugénio

as velas ardem ate ao fim disse...

Sublime ilusão de insensatez.

Divino.

bjos amiga

APC disse...

Um apelo à única asfixia que vale a pena!, e de tirar o fôlego!!!

O que existe tem sentido
Mesmo que esteja por decidir


Ora, vinha eu de ler um pouco sobre a "experiência estética" (aisthesis: sensação + sentimento = sensibilidade), a fruição desinteressada que fazemos como fim em si mesmo... Em nós.

Tem todo o sentido o que existe que maior nos faça existir, seja lá o que se lhe oponha, o que se lhe siga ou a total ausência de regras ou de razão.

Da insensatez de que poucos são capazes e que nem todos perseguem!...

Um abraço.

.*.Magia.*. disse...

Estranha...
É Loucura :P
Daquela Loucura mais próxima de ti!
É Loucura sim, daquela Loucura que não se vê!
É a Loucura das entranhas...
Aquela que só se sente
Que só tu sentes...
É essa!

Hasat ames insana

.*.Magia.*. disse...

Essa mesmo!

arritmico-mano disse...

no subúrbio dela.
luta contra inércias.



luto/a/mos/em/ai...

Francieli Rebelatto disse...

A insesatez, a loucura, e o momento de estarmos em nós mesmos, de percebermos o devir...

Estejas nessa loucura plena então, pois a de vir o que te acariciará ao fim da tarde e te abrandará de sossego...

Beijos e te cuida...

Naeno disse...

De ilusões nos enchemos, o estômago, o coração e a vida toda.
São elas que nos mantém com o pé na frente, em movimento.

Um beijo

Naeno