quarta-feira, setembro 19, 2007

GPS


13 Horas e 24 minutos.
Alguns segundos foi o que bastou para o tempo não contar.
Era uma praça antiga.
Pombos. Pessoas. Cavalos.
Muralhas do lado direito. Não era um castelo.
Mas, também não era um palácio.
Eram muralhas.
Apenas muralhas.
No centro uma fonte.
Do lado esquerdo da praça uma catedral.
Estilo gótico.
Enorme.
A torre parecia tocar o céu.
Sol.
Muito sol.
Uma porta de madeira.
Daquelas portas cravadas de séculos.
De histórias.
Narrativas sem contos.
Suportes de vidas.
Degrau de pedra.
Ele sentou-se.
Olhou o mapa.
Ela deitou-se.
Encostou-se.
E sussurrou como aquela música:
“ Encosta-te a mim “
E ficou assim.
Deitada no seu colo.
E ele via o mapa.
E seguiu as estradas.
Os caminhos. Os becos. As calçadas.
E ali não havia calçadas.
E encostou-se.
Alguns segundos foi o tempo que bastou para o tempo não contar.

E ele disse:
“Queria tirar uma fotografia… eternizar este momento.”
Ela não deixou …
Há momentos que não são kodac’s.
São apenas… e somente… Cumplicidades.

13 comentários:

Carracinha linda! disse...

Ela quis apenas enconstar-se a ele e saborear o que de bom tinha aquele momento. E esse sentimento não precisa de ser fotografado para ficar registado. Fica gravado na memória.

Bjs

sendyourlove disse...

nenhuma fotografia pode gravar os sentimentos, as sensações...

Brain disse...

Momentos...
That's All!

Beijo.

Ela disse...

Cumplicidades.


é isso.


Sem fotografia.

:)

_______________


Beijo

Manuelinho disse...

Sim, e o tempo devia parar nesse momento preciso.
Estranhamente feliz por te ter descoberto.
Vou tomar a liberdade de te linkar.

Isabel disse...

Como escreve um "bruxo" que li, e reli, e voltei a ler, muito, muito, muito, as fotografias levam peda�os de n�s.
H� momentos em queremos que o que fica, fique com nosco, guardado n�o importa onde, ou perdido n�o importa em que espa�o ou que tempo.
Momentos que apenas s�o momentos.
Feitos apenas disso e isso � tanto_______________ feitos do tanto que � a cumplicidade

Voltei para este aconchego impaciente, sorrir, gritar ou ficar apenas_____ por perto_______de ti.

Isabel

APC disse...

Não digas que fui eu que disse, mas há qualquer coisinha-inha de coincidência (assim um mínimo denominador comum, um ínfimo fio) entre este teu isto e aquele meu aquilo. Verás.

E este teu texto está um must!
Anda ao www.minguante.com, sff.

Ah, pois é... Não nos falamos desde antes das férias, e já se passaram o durante e o depois, não foi? Olha, deixa lá estar.
"Olá, cá estamos nós outra vez", como canta Palma num dos temas do seu novo albúm. Sigamos de novo.

É até já... Cum um abraço!***

Thiago Forrest Gump disse...

Momentos eternos!

MiguelGomes disse...

Nem se conseguem escrever, as cumplicidades...

Thiago Forrest Gump disse...

Gostei também da imagem!

Passando para desejar uma segunda feira eterna! lolololol

Coração Defunto disse...

O Amor, a Dor e o Tempo são um triângulo amoroso muito (im)previsível. O amor abraça a dor quando se manifesta e esta acaba invariávelmente por o trair com o Tempo. O Tempo, irónicamente acaba por ser a cura do Amor quando este último finalmente lhe cede.

Onde é que já vi este filme? Ah, foi na Máquina do Tempo! Há Cumplicidades que também se gravam na memória.

Chahy disse...

Segundos que são eternidades, cumplices de sentimentos, momentos.

Branca disse...

Lindo!
Há momentos que merecem ficar só gravados connosco, com quem os vive, só nossos...
Concordo!

Lindo!

:)