segunda-feira, janeiro 07, 2008

Recordações

Lembro-me bem desse dia.
Estive duas horas à tua espera. Estava sol.
Aquela luz tímida que nos ofusca a retina.
Mas, que nos aquece o olhar.
Nesse dia preferi não conduzir.
Andei a pé pela cidade. Aquela cidade que um dia disseste nossa.
Lembras-te?
Em 2000 foste lá. Dormiste lá.
E eu na mesma cidade recusei-me a ti.
Nem sequer te vi.
E vagueamos os dois. Deambulamos.
E nunca nos enlançamos.
Sentiste?
Recuando.. lembro-me bem desse dia,
estava lá um senhor a vender jornais, perguntou o que fazia ali tão cedo...
Não respondi.
Ele disse que tanto tempo à espera que já não vinhas.
Nesse dia preferi não conduzir.
Foi uma boa opção essa em que colocaste a tua mão sobre a minha cintura
e conduziste todos os meus sentidos.
Expressões estas que nos ficam timidamente nas veias.
Sim. Lembro-me bem desse dia.
Sente-me hoje. Para não me esquecer amanhã.
Ontem perguntaste do que eu tinha medo.
Tenho medo disto.
Das recordações.

6 comentários:

lampâda mervelha disse...

Eu não.

Brain disse...

Eu lembro-me...
Eu lembro-me MUITO BEM de alguns dias/noites...
E eu...
Eu não tenho medo dessas recordações...
Eu...
Alimento-me delas!
:)

Strange One,
Aquele beijo.

Putty Cat disse...

medo das recordações?
nada disso...
tem é medo de não as reviver.

POETA VAGABUNDO disse...

agora que andei a ler o que tinhas para trás...pensei... ela está mais profunda....:)
continuas linda...
beijo vagabundo

João Filipe Ferreira disse...

tens desafio no meu blog:)

beijnhooooooooooo

Ela disse...

"tenho medo disto"



De não viver.


Das recordações não.

Fazem-me bem& sigo em frente sem olhar ao sentido proibido.


________________



Beijo